Novas mudanças

E as mudanças continuam. Alguns municípios parecem contagiados pela sede de alterações estruturais. Já não podemos falar em estagnação do estado do Rio de Janeiro. As mudanças devem ser vistas como necessárias, apesar dos transtornos causados.


Não há como deixar de prejudicar alguns. Mas é necessário prever os contratempos e prejuízos possíveis ao se alterar o trânsito de uma cidade, ou mesmo mudar as normas que regem os serviços públicos.


No Rio, mais uma alteração no trânsito da Avenida Rio Branco preocupa taxistas. As obras de implantação do Veículo Leve Sobre Trilhos alteram a mão de direção de um trecho da via. Além disso, taxistas estão preocupados com a possibilidade de proibição de trafegar na via.


O problema está na conduta de alguns taxistas. Mas uma cena de agressão, lamentável, foi gravada e levada ao público pela TV. Dois taxistas brigam por passageiro em pleno Centro da Cidade. Na Rio Branco, principal via do bairro. Um deles chega a pegar uma barra de ferro para agredir o colega.


Cenas como esta em nada ajudam. Servem até de pretexto para aqueles que defendem sistemas de transporte fora da legalidade. Problema trazido por aplicativos capazes de lesar passageiros sem serem impedidos por qualquer órgão público.


Mudanças são anunciadas em municípios vizinhos. Em Piraí e em Itaguaí os taxistas se preparam para a chegada do taxímetro. E, com os modernos equipamentos, a possibilidade de controle maior por parte dos poderes concedentes. Bom para a segurança do taxista. Bom também para o passageiro.


Em Itaguaí, um projeto avançado está em andamento. A cidade recuperou recentemente os royalties do petróleo e segue atraindo grandes empresas. Tudo por conta do porto. Há alguns anos, como contam os moradores, a cidade tinha poucas opções de lazer. Os estabelecimentos fechavam as portas às 20 horas. Poucas ruas eram asfaltadas. Mas, com a chegada dos investimentos, o município tomou outro rumo. Com 135 mil habitantes e uma grande população flutuante atrelada às empresas que ali chegam forçam a Prefeitura a mudar todo o sistema de táxi e trânsito locais.


E, em relação aos táxis, existe a necessidade de novos carros. Veículos antigos e caindo aos pedaços prejudicam a imagem da cidade. Como sempre é dito, o táxi funciona como um cartão postal de uma localidade. E um carro novo, além de ser atrativo para o passageiro, dá ao taxista uma condição melhor de vida. O desejo de melhorar é inerente ao ser humano.

Visitantes online

Temos 44 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital