Tecnologia sob a lei

A tecnologia evolui e novos produtos são criados. Cada criação nova provoca alterações nos hábitos e procedimentos de cada pessoa na sociedade. Os avanços são inegavelmente positivos, mas é preciso maior reflexão, pois o que pode ser vantajoso para uns, também pode provocar um desequilíbrio generalizado.


É o caso dos aplicativos. É bom utilizar a tecnologia avançada para facilitar a vida de usuários e motoristas. O que não se pode aceitar é a utilização desta novidade como forma de burlar a legislação, provocar a evasão de impostos e beneficiar pessoas que nunca seriam autorizadas a prestar o serviço de transporte de passageiros.


Hoje, no mundo, existe tecnologia capaz de tirar milhares de postos de trabalho. Temos notícias até mesmo de veículos que se movem sem o auxílio de motoristas. Por mais que a tecnologia avance, nunca podemos esquecer de que ela tem que servir ao homem, e não, ao contrário. No caso dos aplicativos em geral o que está acontecendo é a destruição de um setor e a sua substituição por uma situação caótica, aberta a piratas de todos os tipos.


Iniciativa importante visa inibir a ação livre das empresas de aplicativos. Certamente, uma nova legislação deve ser implantada. A localização da base desses aplicativos é uma questão importante. As empresas que exploram o serviço devem ser registradas e ter domicílio no município em que operam, já que o taxista tem que residir na cidade em que trabalha. O serviço de táxi é municipal. Não tem sentido de empresas de fora do município, e mesmo de outro estado, explorar um serviço municipal.


É o que está ocorrendo. Algumas dessas empresas que atuam no município do Rio de Janeiro foram criadas em cidades pequenas do interior paulista. Estão fora da vista e arrecadando grandes somas de dinheiro.


Outra questão é como fica o taxista nisso tudo. Alguns acham que estão lucrando. As taxas são baixas e o número de corridas é elevado com a otimização das chamadas. Mas as empresas cobram as taxas que desejam. Se hoje o taxista paga novecentos reais para utilizar um aplicativo, não existe nada que impeça desse valor subir ainda mais. Principalmente se não houver concorrência.


Todos esses detalhes devem ser pensados. Se não podemos impedir o avanço tecnológico, também não podemos permitir a desorganização de um serviço de utilidade pública. Os aplicativos podem conviver com a ordem social, perfeitamente.

Visitantes online

Temos 26 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital