Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

Turistas preferem o táxi aos carros de aplicativos durante os Jogos Rio 2016

Turistas775Campanhas direcionadas para os visitantes mostram a segurança do táxi legalizado


Os taxistas mais organizados venceram a concorrência ilegal durante os Jogos Rio 2016. Segundo integrantes do ponto da Barca Táxi e Boulevard Olímpico, os estrangeiros preferem a segurança do carro legalizado a ter que arriscar em um veículo qualquer.


O taxista Wil faz ponto na saída da Estação das Barcas. Ele explica que atndeu a muitos estrangeiros durante o evento:


“Foi muito bom o trabalho durante as Olimpíadas. Mas tivemos que enfrentar carros da Uber. Um deles colidiu aqui na frente do ponto. Percebo que estão desesperados”, disse.




Wil justifica a preocupação dos motoristas clandestinos.


“Eles são muitos e concorem entre eles. Se antes faziam 14 coridas por dia, hoje fazem 3”.


O taxista Wil diz que conduziu franceses, suíços, americanos, italianos, muitos turistas que passaram pelo ponto.


Mesmo com o fim dos jogos, os taxistas do ponto da Barca Táxi continuam a atender passageiros que preferem o táxi aos carros piratas.


“Pensávamos que eles iriam pegar muito Uber, mas ficamos surpresos. Eles preferiram o táxi. Acho que devido à segurança. O táxi é legalizado. Os motoristas também”, disse Wil.


Fim das obras


Os taxistas que trabalham na Praça XV passaram por grandes dificuldades durante o ano anterior. Com as obras para a adequação do espaço para os Jogos Rio 2016. O taxista Marcelo trabalha no ponto da saída das Barcas. Ele diz que depois das obras ficou melhor.


“Quero ver depois que acabarem as festas. Durante as Olimpíadas, o movimento aumentou de 20% a 30%, apesar da concorrência do Uber”, disse.


Os shows da Praça XV beneficiam os taxistas do centro da Cidade. Mas Marcelo reclama dos carros irregulares:


“Com este aplicativo o movimento para os taxistas caiu 50%. Depois, durante as Olimpíadas, ganhamos um suspiro. Mas agora, depois que acabou, está como vemos – táxis parados no ponto”, disse Marcelo.
O prancheteiro da Barca Táxi, Amarílio, explica que o movimento foi bom. Ele também quer mais eventos na Cidade.


O taxista Carlos Alberto também revela que foi muito bom trabalhar durante os Jogos:


“ Saímos muito bem. Conseguimos enfrentar a situação. Desde que a Uber começou a atuar que não conseguimos fazer a féria que fazíamos”.


Carlos Alberto também usa aplicativos. Mas diz que o forte mesmo é o ponto de táxi, onde param inclusive para descansar.

Curta a Folha do Motorista

Visitantes online

Temos 52 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital