Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

Como se tornar um taxista em São Paulo?

Veja os passos necessários para se tornar um taxista profissional e legalizado.

 

Os serviços de táxi são atividades de interesse público e como tal, são regulados pelo governo. Os carros que prestam este serviço são autorizados a trabalhar através de licenças emitidas pelas Prefeituras, bem como, os taxistas só podem exercer a atividade depois de credenciados no órgão municipal de trânsito responsável.


Para ser taxista em São Paulo é necessário um documento chamado Condutax que é emitido pela prefeitura. Você precisa se inscrever no Cadastro Municipal de Condutores de Táxis de São Paulo. Atualmente existem mais de 60 mil pessoas em São Paulo que possuem Condutax, isto significa que elas podem ser motoristas de táxi. Além de se tornar um taxista você precisa comprar um táxi. Um carro para táxi precisa de uma licença especial emitida pela prefeitura que se chama alvará de estacionamento, livre ou privativo.


Para tirar o seu Condutax você precisa ir até o Departamento de Transportes Públicos (DTP/SMT) de São Paulo. A taxa atual é de R$ 63,55. O Condutax é liberado no mesmo dia e tem a mesma validade da sua carteira de habilitação. Mas para solicitar o Condutax você precisa de alguns documentos. Um deles é comprovante de realização do Curso Especial de Treinamento e Orientação em uma das escolas autorizadas pelo DTP. Você pode encontrar estas escolas no site da Prefeitura. O curso dura 32 horas e não tem preço fixo, cada escola pode possuir o seu.


Todos os documentos que você precisa para tirar o Condutax e se tornar um taxista são: RG; CPF; CNH profissional; Comprovante de residência; Certidões de Distribuição e Execução Criminal; e Certificado de conclusão do Curso Especial de Treinamento e Orientação. Até o mês 03 de 2009 existiam mais de 32 mil alvarás para operação de táxi na cidade de São Paulo. Atualmente a prefeitura não está emitindo novos alvarás e por isso é necessário comprar um alvará que já exista de um taxista que deseje vender. Por lei é permitido que um mesmo alvará seja usado por mais de um motorista. Desta forma é comum um motorista usar o alvará durante o dia e o outro durante a noite.


Para aquelas pessoas que não puderem ou não quiserem gastar com uma licença, ela pode optar em trabalhar com um táxi de frota. Táxis de frotas são veículos de empresas de táxis que ficam disponíveis para taxistas em troca do pagamento de um valor diário, semanal ou mensal. Em São Paulo, esse valor diário pode variar entre R$ 85 e R$ 115 mais o combustível.


Dentro da profissão os serviços de táxi se subdividem nas categorias: táxi luxo, táxi especial, táxi comum, táxi comum-rádio, táxi lotação, táxi mirim e moto-táxi. Praticamente todas estas modalidades utilizam taxímetro e, assim sendo, calculam a tarifa a ser cobrada a partir do somatório da tarifa inicial, conhecida como bandeirada (tarifa métrica ou horária). Geralmente, a bandeira mais utilizada em circunstâncias normais, é a bandeira 1. O taxista somente irá acionar a bandeira 2, que implica em um acréscimo ao valor da corrida, quando o transporte ocorrer por exemplo em horário noturno ou em estrada de chão.


Existe ainda uma modalidade de táxi chamada de táxi acessível. É um tipo de táxi criado para transportar idosos ou pessoas com deficiência física ou dificuldade de locomoção. É um mercado ótimo já que existe poucos concorrentes e você acaba se diferenciado dos demais táxis da cidade.

Curta a Folha do Motorista

Visitantes online

Temos 20 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital