Qual o legado da Copa do Mundo?

No anúncio que a Copa seria no Brasil, houve certa euforia dos meios de comunicação. Isso porque o tal legado, obras e melhorias que seriam deixadas para a população após o mundial, foram as grandes bandeiras da candidatura brasileira para sediar o evento. Agora, faltando praticamente um mês para o início dos jogos, infelizmente vemos que não foi bem assim.


A Zona Leste de São Paulo, que abriga o Itaquerão, estádio de abertura da Copa do Mundo, viveu uma grande valorização dos seus imóveis. Algumas obras viárias no entorno do estádio, como o Mergulhão (veja mais nessa edição) foram entregues, e outras estão em andamento, mas é muito menos do que a população imaginava ou precisava.


 Os congestionamentos, item que a FIFA várias vezes apontou como ponto negativo em nossa cidade, não foram sequer amenizados. Não houve um investimento maciço na tão discutida mobilidade urbana, e idéias ficaram no papel. Até uma solução simples, como a colocação de itinerários nos pontos de ônibus em outros idiomas, não foi realizada.


O governo não investiu na qualificação dos profissionais dos setores de turismo e serviços da maior cidade da América Latina. O mínimo que se esperava eram que cursos de inglês e espanhol se proliferassem, gratuitamente para todos os interessados. Mas isso não ocorreu.


Para os taxistas, poucos programas governamentais foram criados. Há alguns dias o governo do estado editou uma cartilha com sugestões de roteiros, mas é mínimo ao se pensar em tudo o que poderia ter sido oferecido. Cursos de línguas, imersões culturais, técnicas de atendimento, programas para aceitar pagamentos por meios eletrônicos, Wi Fi, entre outros, fariam a diferença para os taxistas de São Paulo.


Muitos profissionais da praça se qualificaram por conta própria, investindo seus próprios recursos financeiros. Essa é uma iniciativa louvável, mas um governo tem a responsabilidade de preparar seus cidadãos, para um evento de grande porte e para a vida. Obras, segurança, saúde e educação são os legados que um presidente deve deixar ao seu país. Infelizmente, no Brasil essa oportunidade foi perdida. Agora, vamos aguardar as Olimpíadas em 2016.

Visitantes online

Temos 57 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital