Folha do Motorista SP
Edição online | Edições em PDF
Folha do Motorista RJ
Edição online | Edições em PDF

Veículos desconfortáveis serão retirados da praça carioca em 2014

Novo Código Disciplinar estabelece máximo de cinco anos de uso para táxis comuns
    
Os proprietários de táxis velhos devem se preparar. A Prefeitura do Rio de Janeiro reprovará modelos de veículos que não estiverem de acordo com as especificações do Código Disciplinar em estudo na SMTR. Veículos do tipo hatch não serão mais aceitos na praça, e a idade máxima de uso do táxi passará a ser de cinco anos para os convencionais e quatro anos para os especiais.

As mudanças estão em estudo na Secretaria. O novo Código estabelece que os táxis especiais passarão a ter a cor preta, de acordo com o fabricante. Os táxis comuns permanecerão na cor amarela com faixa azul, de acordo com a tabela de cor Munsell, (7,5y 7/10) e 5PB 2/6).

O táxi comum deverá ser equipado com dispositivo que liga o bigorrilho quando o taxímetro é acionado, ter quatro portas e capacidade de bagagem maior do que 350 litros. Todos os veículos deverão ser equipados com ar-condicionado. Motores a diesel estão proibidos. A Prefeitura deverá aprovar os veículos a serem utilizados no serviço de táxi da cidade.

Os veículos das cooperativas especiais deverão ter até quatro anos de uso. Todos serão da cor preta de fábrica. A motorização mínima exigida será de 1800 cilindradas. Os automóveis deverão ser equipados com transmissão automática, banco de couto ecológico e vidro elétrico nas quatro portas. Os táxis especiais não poderão ser do tipo hatch ou sedã compacto.

Serviços especiais de táxi são comuns nas principais capitais do mundo. Em Londres, os famosos 'cabs' pretos têm bancos de frente e de costas. Esse tipo de veículo não é fabricado em larga escala no Brasil.  

 


 

Curta a Folha do Motorista

Visitantes online

Temos 58 visitantes e Nenhum membro online

Links Interessantes: Coruja Feed  | Agência Igloo Digital